Como lidar com a nostalgia gamer? (ou como jogar jogos antigos e se sentir um tiozão)

Olá, queridos leitores. Venho por meio deste ajudar a todos vocês que se encontram perdidos no cantinho de um passado onde gostariam de continuar morando. Vocês que preferem ouvir discos na vitrola de casa ou andar com calça de lycra com meias coloridas na academia. Tem também aqueles que preferem usar roupas antigas, como cartola e óculos do falecido pai.

Eu fui parte de uma geração que teve acesso a alguns videogames bem bizarros mas que fazíamos de tudo para aceitar que aquilo era o mais real que um gráfico podia chegar. Lembro de uma vez discutir com um amigo sobre a veracidade no jogo Tekken e afirmar de forma enfática que o jogo era o mais próximo do real que tínhamos na época.

Invejosos dirão que é montagem

Invejosos dirão que é montagem

Para ajudar essa galerinha nova que nunca esteve de frente para um jogo com gráficos sofríveis, venho trazer nesta lista as melhores opções de reviver épicos que eu lembro que são lindos e maravilhosos na minha mente mas não passam de jogos merdas do passado.

Estão prontos?

Captain Comic

Esse daqui foi um dos meus preferidos por muito tempo. Adorava ficar imaginando essas desventuras do “astronauta” viajando entre planetas, lidando com as diferenças culturais e aprendendo a viver sozinho com a sua complexidade humana.

Acontece que hoje eu vejo esse jogo e fico imaginando se era essa mesma a história do jogo, porque eu não consigo imaginar que ele tivesse toda essa profundidade descrita no texto acima só olhando pra esses gráficos aqui da imagem.

Captaincomic2E se você ficou curioso e quer saber como é este magnífico jogo, você pode baixar Captain Comic clicando neste link aqui.

Tiny Toons Adventures

Se eu me lembro bem, esse foi um dos primeiros jogos licenciados que eu tive notícia e sabia que era licenciado. Eu amava os personagens do Looney Tunes, quando eu vi esse jogo eu fiquei apaixonado logo de cara e precisava jogar por tudo que era mais sagrado.

Tiny Toons era um desenho que sempre fui muito fã. Quando tive a oportunidade de jogar com meus personagens favoritos era como a realização de um sonho daqueles bem merda.

O mais incrível de tudo é que se você clicar na imagem aí embaixo vai conseguir jogar Tiny Toons Adventure como fazíamos naquela época. Venha se maravilhar com a diversão sem limites.

TinytoonsYo Noid

Se não me engano, já falei que era apaixonado por este jogo aqui no blog. Nunca entendi o propósito de um cara fantasiado de sei lá o que sair por aí entregando pizza ou comendo pizza ou jogando pedra-papel-tesoura com os inimigos. Devia ser alguma inspiração em Alex Kid ou algo assim.

De qualquer forma, lembro de perder tardes e mais tardes jogando Yo Noid e até hoje me lembro dos detalhes da aventura do entregador vermelho. Se você quer se encantar com a imaginação de alguns programadores daquela época, este é o melhor jogo para isso.

Aquele mesmo esquema. Clica na imagem abaixo e jogue Yo Noid Online.

blog2

Ducktales

Se tinha um jogo épico, esse jogo era Ducktales.

Devo ter passado mais horas tentando passar pelas fases, encontrar atalhos e chegar até os lugares escondidos do que passando escondido com a revista Brazil.

Ducktales não tinha nada de especial e eu nunca nem fui muito fã dos personagens da Disney, nesse caso em específico, os três sobrinhos e o Tio Patinhas. Achava as histórias em quadrinho dele muito confusas e com muito texto. Para um pequeno mancebo como eu, textos exorbitantes naquela época era tudo que eu não queria.

Ajude o Tio Patinhas a encontrar os sobrinhos e passear por diversos lugares incríveis.

ducktales_081213_1600

Depois dessa incrível gama de jogos, duvido que você consiga voltar a se divertir com estes gráficos realistas das gerações atuais.

Qual desses games você já jogou e qual game ficou faltando na lista? Deixe aí seu comentário.

set 17, 2015 Blogs e Internet, Games & Afins, Linkagem Comentários: 2

Onde eu queria estar

No começo dos meus treze anos eu lembro de ter pensado no motivo de alguém querer namorar comigo. Eu não tinha nenhuma habilidade incrível e muito menos sabia me portar como uma pessoa normal, mas embora eu me achasse uma lástima, sempre tinha alguma garota (ou homem) interessada em mim. Talvez pelo cabelo, eu pensava.

Meu cabelo era enorme e tinha um brilho radiante. Poderia muito bem ser descrito através das referências de Lewis Carrol sobre o cabelo de Alice. Tenho certeza que qualquer trecho daqueles se aplicariam às minhas lindas e loiras madeixas.

Só não eram lindas, nem loiras. Demorei pra perceber, mas já tinha passado tempo suficiente com o cabelo grande. Lembro-me de me questionar sobre o que veriam de interessante em mim quando eu cortasse o cabelo e lutei até os últimos instantes para ir até o salão para cortá-lo. Eu perderia o meu maior atrativo, pensei.

E perdi.

Perdi alguns três cachos que insistiam em permanecer no meu cabelo mesmo quando ele já tinha perdido todo o brilho e todas as formas de que um dia foram atraentes a alguém. Mas não sabia. Nunca soube. Sempre me achei muito abaixo da média e tinha quase certeza que meu cabelo era a única coisa que alguém poderia ver em mim.

Ganhei uma sobrevida, um novo rosto, uma nova aparência e uma nova forma de me aproximar das pessoas. Ganhei novos amores, novas amantes e novos olhares curiosos. Aprendi que falar é muito melhor do que pensar e que agir é muito mais prático do que apenas querer. Aprendi que tudo depende de com quem você quer estar e o que você quer fazer. Isso tudo apenas com um corte de cabelo. Mudou tudo em mim e ainda tem gente que diz não acreditar nessas mudanças.

Mudanças acontecem do dia para a noite e precisamos sempre buscar essas mudanças e saber a hora que elas precisam ser feitas. Mudar seu caráter, mudar suas ações, mudar até os apelidos que você dá para quem você odeia. Tente inovar, porque chamar de “cobra” e de “idiota” parece desespero e falta de criatividade. Tente ser diferente, mas não diferente de outras pessoas, diferente de você mesmo minutos atrás, porque é mudando que nós evoluímos.

Com as mudanças conheci novas pessoas, adicionei novos amigos e consegui novos contatos. Li novos livros, ouvi novas músicas e aprendi sobre mais coisa do que imaginei que poderia aprender. Aprendi novas culturas, novos objetivos e novos conceitos.

Pode parecer clichê, mas hoje eu estou exatamente onde eu queria estar.

set 15, 2015 Algum Sentimento Comentários: 0

Um desafio para melhorar seu dia

Quando você acorda, qual é a primeira coisa que pensa?

Você é daqueles que já acorda ralhando, dizendo ao mundo que o seu dia vai ser uma droga e que você quer mais é que tudo se exploda? Se for, acho melhor parar o que está fazendo agora, respirar bem fundo e pensar no amanhã.

Eu lhe proponho um desafio. Um desafio que não vai fazer mal a ninguém, principalmente a você mesmo. Não é nenhum daqueles desafios que a gente fazia quando éramos crianças. Não é te obrigar a beijar uma garota que você não quer ou dizer para um rapaz que você o ama. O desafio é de comportamento e o benefício vai ser para você, mas todos ao seu redor vai ser beneficiado.

Amanhã, e apenas amanhã, você vai se propôr a só dizer coisas boas. E não estou falando que vai falar só coisas boas para os outros. Você vai dizer coisas boas à você. Você vai acordar e dizer para si mesmo, enquanto escova os dentes e vê suas novas rugas de expressão, que o dia vai ser incrível. Que seus colegas de trabalho vão estar radiantes e que seus desafios da escola, do trabalho ou de casa não serão nada diante o seu melhor sorriso.

Elogie seus colegas, comente apenas coisas boas nas fotos das pessoas no Facebook ou Instagram, comente em blogs que nunca comentou, escreva e-mails para aqueles que ama ou que se importam com você de alguma forma, retome contato com as amigas que não fala há muito tempo, releia contos e livros que te fizeram sorrir e termine o dia vendo um filme ou episódio de uma série que te faz rir sem parar. Não vamos deixar com que a ignorância e o preconceito vença nossos esforços.

Amanhã será um dia de sorrir e de sorrir.

E se este dia for bom, repita no dia seguinte e no seguinte. E não se preocupe se falhar um dia. Não vamos tornar isso uma ida à academia. Vamos fazer com que um dia perdido seja recuperado em dobro no dia seguinte. Vamos sorrir como se nossos sorriso fosse bom demais para guardar só para nós. Vamos sorrir…como se nossa vida dependesse disso.

No fim, não é que depende mesmo?

foto.

set 1, 2015 Algum Sentimento Comentários: 2

Balada pré dia dos pais. Quem nunca? #BEDA10

Quem nunca acordou um dia com um convite de uma amiga pra ir em uma balada pré dia dos pais? Uma balada tranquila, família, sabe? Daquelas que tu vai e tem vontade de levar pai, tio, sobrinho e todo mundo que você acha que vai curtir. Eu nunca fui convidado para uma festa dessa. Se você for, me avise.

Tem momentos na vida que você precisa pensar direitinho se vale a pena ou se você só está entrando naquele bolo por conta de empolgação e ânimo da juventude ao seu redor. Sabe aquele momento que tu aceita pular de para quedas no calor do momento e lembra que tem medo de altura? Ou daquele outro que te chamam pra uma orgia mas não informam se vai ter homem, mulher, animais ou anões e tu aceita sem saber os riscos que corre? Todo dia nos deparamos com convites como esse e é preciso bastante treinamento para sabermos onde estamos nos metendo.

Há algum tempo rolou um convite de um grupo de amigos da namorada e todos fomos intimados a ir porque era aniversário de uma das meninas mais exóticas do grupo. Quando digo exótica, eu tô falando em todo o sentido literal da palavra. É uma menina bastante diferente em todos os sentidos que já vi. Aquelas minas que curtem cristais, mandalas, bambus, essências e divas pop. Acho que todo grupo tem uma delas, não vai ser difícil para você identificar uma no seu grupinho da escola.

Ela é incrível. Super divertida, tem sempre uma tirada bacana e sempre uma música perfeita para o momento certo. Ranna é o nome dela e segundo meu irmão significa flor em japonês, ou água gelada, dependendo da região do Japão que você more.

Mentira. A parte da água gelada eu inventei.

A parada toda é que a tal festa era em uma boate gay de Volta Redonda. De boa por conta disso. Nunca tive problema em ver homens se beijando, nem mulheres, nem homens e mulheres, nem três homens, nem três mulheres, nem árvores, pneus, álcool, mais álcool, nego subindo na pista, DJ ignorando meu pedido desesperado pra tocar Like a G6 (porque meu sonho é ir numa balada que toque Like a G6) e então deu a hora de ir embora.

Realmente ver as pessoas se divertindo é uma experiência super antropológica. É legal acompanhar a evolução dos mais quietos que vão se soltando de acordo com a quantidade de álcool que vão ingerindo, ou acompanhar a chegada de uma menina mais despojada que vai ficando triste e cabisbaixa com o passar da noite ou ainda ver a evolução do Henrique, que também estava no dia do macarrão, se soltando e curtindo a noite como poucos.

A noite passou rápido. Quase não vimos as coisas acontecendo e quando percebemos já tinha dado a hora de ir embora, afinal, meu pai chegaria muito cedo no dia seguinte para comemorarmos o dia dos pais em grande estilo.

Quando fomos embora, revelamos algumas situações constrangedoras no carro e confidenciamos informações que não devem nunca serem ditas, a não ser que seja preciso chantagear alguém em troca de alguma coisa que possamos querer. De qualquer forma, é melhor guardarmos as informações e esperar o dia certo para dá-las ao mundo.

Com este tipo de situação que eu continuo percebendo que vale muito a pena ter amigos, conhecer gente nova e se dedicar a manter laços curtos com pessoas que valem a pena. Não é todo dia que você encontra amigos novos e verdadeiros dando sopa por aí e te aceitando exatamente como você é.

ago 10, 2015 BEDA, Blogs e Internet, Crônicas e cotidiano, Desgraça pouca Comentários: 1

Muito além do peso #BEDA7

Pouca gente sabe mas tenho mudado meus hábitos de maneira bem devagar, tentando não atingir tanto minha resistência e conseguir, muito em breve, melhorar drasticamente minha alimentação, meu ânimo e minha vida, através apenas dos alimentos que venho consumindo.

Não pretendo citar dietas milagrosas nem ensinar maneiras de emagrecer rápido. Eu estou mudando minha vida devagar, com pequenas mudanças de hábitos e que logo, logo se tornarão parte dos hábitos que levarei para a vida. Ainda estou muito no começo e pouca coisa realmente mudou. Se tivesse que enumerar, diria que apenas a minha consciência mudou. Hoje tenho noção do que devo, do que posso, do que não faz bem e do que ainda preciso mudar. Isso já é um avanço, para quem nunca se preocupou com nada referente à alimentação e saúde.

Para ajudar àqueles que querem o mesmo, ou pelo menos querem informação, recomendo o documentário Muito além do peso, que está disponível no youtube e você pode ver aqui embaixo:

E aí, curtiram o documentário? O que podem acrescentar à esta discussão? Chega mais e bota pra fora tudo que você sempre quis dizer.

ago 8, 2015 BEDA, Blogs e Internet Comentários: 0

@ Copyright 2013.
Top