Fazendo o bem sem olhar Akeem

20819_944492625575461_3250971702278540820_n

Eu sei que o título foi péssimo, mas eu gostei tanto do trocadilho que resolvi deixar. Como o propósito do post é nobre, espero que não se importem.

Dias atrás uma amiga minha me marcou em uma postagem no Facebook sobre um refugiado congolês e pediu nossa ajuda para sua causa. Como eu não fazia ideia de quem nascia no Congo era congolês, dei uma atenção especial para o texto. Me surpreendi incrivelmente e fiquei feliz de ter parado para ler aquele texto e ainda descobri que Akeem era da República Democrática do Congo, que é diferente da República do Congo. Viu? Até agora você só aprendeu coisas legais!

O texto fazia um apelo aos seus amigos que pudessem doar qualquer quantia para um amigo pessoal dela, que vivia em Uganda buscando ajudar crianças órfãs da guerra.

Achei a história deveras interessante e resolvi me aprofundar mais. Lendo o texto e esta matéria, obtive informação suficiente para saber que eu podia dar uma ajudinha também.

Após ter os pais, os irmãos e as irmãs assassinados por adversários políticos, Akeem “viveu” duas semanas sem nada para comer e para beber. Após isso, conseguiu fugir para Uganda e está lá até hoje.

Nosso benfeitor criou a ONG World Child Care Vision em 2013 em Uganda e busca, através dela, levar o básico necessário para outras crianças também refugiadas.

Por falta de recursos, Akeem as auxilia da forma que pode, ensinando-os o básico da educação, conseguindo remédios e cuidando de tudo que pode para que tenham uma sobrevivência digna, em meio à tanto caos. Nesta foto abaixo, Akeem improvisa uma sala de aula onde pode, embaixo de uma árvore.

Foto retirada da fanpage da World Child Care Vision

Foto retirada da fanpage da World Child Care Vision

Akeem está buscando doações de qualquer valor para continuar mantendo a ONG em atividade. Se você puder e quiser ajudar pode procurar diretamente esta minha amiga, Talissa, ou pode doar diretamente através da agência da Western Union (única mais próximo de onde atua). Ele sempre posta na Fanpage o resultado das doações e minha amiga também enviará os comprovantes dos que doarem através dela.

Não lembro nunca de ter pedido nada a vocês aqui porque sou meio contra apelar para “consciência” nesses casos. Mas neste caso, não estou pedindo que se sinta culpado pelo que acontece lá, mas estou dizendo que se você puder e quiser ajudar, com certeza o Akeem e dezenas de crianças amparadas (ainda que minimamente) pela ONG ficarão eternamente gratas.

1 Comment

  • Reply Macarrão ao som de Bailando junho 24, 2015 at 11:59 pm

    […] foi minha e da minha namorada, porque estávamos com inveja porque uma das pessoas da mesa, a Talissa, tinha ganhado uma caixa enorme de paçoca e não quis dividir com a gente mais cedo. Olho grande, […]

  • Deixe sua opinião